Como ser um modelista 3D de joias e fazer sucesso

O mercado joalheiro é um dos que mais tem utilizado e se beneficiado das novas tecnologias de prototipagem rápida em impressoras 3D e CNCs. Só que a procura por esse tipo de tecnologia gerou a necessidade do mercado de joias se integrar nos processos de modelagem 3D. Sem ela é impossível aproveitar os benefícios da prototipagem rápida. Essa marcante necessidade gerou um novo perfil profissional ou uma nova profissão: o modelista 3D de joias.

E, nesse post, vamos para falar sobre o que é necessário para ser um modelista 3D de joias e fazer sucesso.

Vamos aos 3 pontos que consideramos fundamentais e, no final, uma dica extra que vale para qualquer um que deseja sucesso profissional:

A – Conhecimentos de processos e técnicas de joalheria

Mesmo sem experiência na bancada ou produção de joias, semijoias (ainda não vamos entrar na discussão dos conceitos, rsrs) e folheados, para ser um modelista 3D de joias é necessário conhecer os aspectos técnicos para modelar uma joia em 3D que seja possível de produzir.

Ao receber um desenho, esboço, sketch ou mesmo um briefing do projeto da joia, o modelista precisa ter conhecimento de técnicas de joalheria, processos e regras de produção. Só como exemplo podemos citar espessuras, soldas, montagem e outras particularidades que são características desse tipo de produto. Principalmente porque estamos falando de joias, produtos muito pequenos, ricos em detalhes e confeccionados com materiais específicos.

Técnicas de joalheria

Claro que o conhecimento prático e a experiência de execução são diferenciais, entretanto, conhecimentos teóricos são essenciais e indispensáveis. Mesmo que você tenha trabalhado ou trabalhe em alguma função no setor, seja um ourives, um cravador, um profissional de fundição ou acabamento, é quase impossível conhecer todos os detalhes de todos os processos.

Um modelista de cera, por exemplo, pode ter mais condições e habilidade que um estudante de design para aprender a modelar as joias em 3D. Mas, podemos garantir, que qualquer pessoa pode. Basta querer aprender e se dedicar.

Para isso, podemos compartilhar algumas fontes e locais tanto para adquirir, como também, se aperfeiçoar nesses conhecimentos:

1 – Um bom curso de joalheria e/ou ourivesaria. Não precisa ser, necessariamente, de graduação (Faculdade e Universidade). Temos muitas escolas de joalheria de excelência no Brasil com cursos de desenho de joias, design de joias, bancada de joalheria, cravação, fundição, entre outros.

2 – Participar de feiras do setor joalheiro como Feninjer (São Paulo), Bijoias (São Paulo), Tecnolgold (São Paulo – à confirmar pois não teve edição em 2017), FA São Paulo. Fora de São Paulo temos a Ajorsul (Gramado – RS), FIBA (Rio de Janeiro), Ajoresp Brasil (Campinas -SP), Aljoias (Limeira) entre outras. Essa participação promove, além de conhecimento, um networking e contato com o mercado de uma forma ampla e extremamente interessante.

3 – Livros técnicos e Internet. Colocamos livros técnicos em primeiro lugar pois, mesmo que eles já não sejam tão procurados quanto os livros de romance e ficção, ainda são fonte inesgotável de conhecimento. Na área de joalheria podemos citar vários como: A arte de desenhar joias, de Lélia Copruchinski, A joia, de Eliana Gola, Desenho Técnico de Joias, de Luciana Preuss, Joias – Modelagem em cera, de Carlos Salem.

Um livro que sempre indico pra quem está começando é o Joia: fundamentos, processos e técnicas, de Rita Santos, um excelente livro que acompanha DVD com conceitos fundamentais.

Não poderiamos deixar de citar a Internet, fonte atual que veio pra ficar, tanto para jovens como para pessoas mais experientes como nós. Entretanto, vale a pena alertar que, nem sempre, o que está na Internet é correto e confiável. Conselho: procure saber e conhecer os sites e fontes de informação.

4 – Participar de workshops, congressos, seminários e treinamentos rápidos são de extrema valia para troca de experiências e aperfeiçoamento.

B – Conhecer o cliente e o mercado onde vai atuar

Como modelista 3D de joias, quando você entende o tipo de produto que seu cliente deseja, quais são seus problemas e desejos, cria uma conexão. Essa conexão e sintonia promove excelentes parcerias de sucesso. É muito difícil fazer tudo sozinho hoje e, quando falamos em indústria, mais ainda.

 

mercado joalheiro

O profissional (mesmo que freelancer) que conhece o cliente e suas necessidades é sempre valorizado. O modelista 3D de joias que trabalha com ética, organização, tanto de prazos, quanto de execução, foca na excelência do serviço garante a confiança do seu cliente. Ele sabe que pode contar, confiar, programar suas produções e, muitas vezes, não se importa em pagar mais por isso, pois valoriza o profissional.

Em nosso entendimento, quem conhece o mercado pode até escolher para que tipo de cliente vai trabalhar como é o caso de trabalhar para designers ou para a indústria. As dificuldades, desafios e as vantagens de um profissional que trabalha sozinho, faz joias exclusivas e personalizadas são extremamente diferentes das vantagens e desafios de uma empresa média de folheados. Ambas podem usufruir da modelagem 3D, mas com abordagens muito diferentes. E esse conhecimento de mercado dá ao profissional da modelagem 3D de joias vários degraus de vantagem.

C – Conhecimento do software que vai usar

Conhecer muito bem o software que vai usar para modelar joias, seja ele o Rhinoceros, Rhinogold, Matrix ou outro CAD, é essencial para que seu trabalho seja feito com excelência, rapidez e qualidade.

Quanto maior for esse conhecimento mais fácil ficará sua vida profissional como modelista de joias e os resultados que trará para seu cliente, tanto em termos de solução de produção quanto da própria modelagem em si. Unindo este conhecimento com o do tópico anterior o profissional de modelagem de joias tem um diferencial. É esse profissional que consegue ter sucesso.

Para adquirir esse conhecimento, de forma fácil e totalmente focada no mercado de joias, você pode fazer sua inscrição no nosso curso online de Modelagem de Joias com Rhinoceros. Com esse curso além de aprender a modelar joias em 3D com o Rhino, você ganha o módulo de produção que ensina como preparar e salvar o arquivo 3D da joia para prototipagem rápida em CNC e impressora 3D.

 

curso de modelista 3d de joias

D – Dica extra

Trabalhe de forma criativa e não competitiva

ser criativo

Trabalhar de forma competitiva é fazer as coisas exatamente como outros fazem entrando no mundo da competição, isso inclui por exemplo: disputas de preço, querer ser superior e melhor em prazos, exagerando no tempo que trabalha. Tudo isso gera desgaste, falta de reconhecimento, problemas financeiros e de saúde. Trabalhe de forma criativa, faça as coisas de maneira diferente, seja inovador, criativo.

A criatividade pode ser aprendida e exercitada, vá a museus, estude sobre arte, pare alguns momentos e observe a rua, os carros, a pessoas, analise o que vê, sente e ouve. Permita-se sentir e conectar-se com a natureza. Ouça música, veja filmes inspiradores, foque no que há de melhor! Você verá que ideias surgirão, inspiração e criação podem fazer parte do seu trabalho. Desafie-se. Não é necessário ser um design, entretanto, como modelista 3D de joias você pode se arriscar.